A Gazeta Independente
                                           A verdade imparcial - Ano 2 - 14ª Edição - Cobertura Especial dos Combates      
                             1º Dia de Combates - Sete horas e trinta e oito minutos desde que foram iniciadas as hostilidades      
Puerto Suarez sob ataque cerrado! FAB também ataca paiol e unidade antiaérea boliviana em Puerto Suarez
FAB ''limpa a área'' e bombardeia a cidade. Usina elétrica atingida! Ameaças imediatas contra as forças brasileiras foram destruídas
Correspondente Bolívia Correspondente Bolívia
Puerto Suarez Puerto Suarez
07:37:00 - A Força Aérea Brasileira informou que caças A-29 Super Tucano - ALX - pertencentes ao 3o. Esquadrão do 3o Grupo de Aviação - Esq. Flecha, bombardearam, mais uma vez, a cidade de Puerto Suarez, atingindo a usina termoelétrica local. 07:37:00 - A FAB informou, também, que o Esq. Flecha, usando os sofisticados recursos do ALX, havia identificado uma bateria de canhões junto ao aeroporto de Puerto Suarez. Atacando de uma altitude superior ao alcance efeitivo desses canhões, e com grande precisão, essa unidade foi atingida e eliminada.
 A cidade de Puerto Suarez foi duramente atingida nos últimos minutos, com o aeroporto local sendo duramente castigado. Foi de lá que partiram os ataques bolivianos contra Corumbá e as unidades do Exército Brasileiro e da Marinha do Brasil e do aeroporto de Corumbá. Além da bateria antiaérea, os pilotos identificaram um possível paiol, provavelmente com recursos do Exército Boliviano e da Força Aérea Boliviana, já que dali partiram os ataques ao território brasileiro, e o mesmo foi atacado, novamente com grande precisão, de grande altitude.
   
Abaixo: Foto de Puerto Suarez, com a usina termoelétrica em primeiro plano Abaixo: Foto de Puerto Suarez, com o aeroporto em primeiro plano
 
 
   
   
   
   
    
   
   
   
   
 
 
   
Bolívia denuncia ataques civis Exército Boliviano confirma ataques
Uma aeronave brasileira atacou o centro de Puerto Suarez Uma pequena fração da 4a. Bia. Do 6o. RAAAé foi atingida
Correspondente Bolívia Correspondente Bolívia
Puerto Suarez La Paz
07:37:00 - Um caça brasileiro ALX liberou três bombas sobre o centro de Puerto Suarez, atingindo vários estabelecimentos civis, inclusive, um hospital. Segundo governantes municipais, não havia nenhum alvo militar ou mesmo do governo, próximo ao alvo. 07:37:00 - Uma nota oficial do Exército Boliviano confirmou a perda de uma unidade que compõe a 4a. Bateria do 6o Regimento de Artilha Antiaérea, unidade especializada do Exército nacional foi efetivamente destruída.
Das três bombas lançadas, uma atingiu uma área verde aos fundos do hospital e outras duas alas distintas do hospital. Há, pelo menos, 12 mortos e 40 feridos. Segundo a nota, a unidade era composta por velhos canhões de guiagem ótica. O número de baixas não chega a dez pessoas.
   
Abaixo: Foto da área atingida, no centro de Puerto Suarez  
     
  Força Aérea Boliviana emite nota
  Parte 1 - Perdas de vidas dos pilotos do GAC-341
  Correspondente Bolívia
  La Paz
 
  07:37:30 - O Comando da FABol lamenta pela perda dos três pilotos do esquadrão 341. Informamos que toda a assistência necessária será dada as famílias dos pilotos. Os pilotos envolvidos nos combates lutatam com bravura contra as forças brasileiras e que atualmente outras aeronaves estão no combate contra as unidades que abateram nossas unidade. Temos total confiança que teremos êxito nos próximos acontecimento.      
 
 
 
   
 
 
Comando Brasileiro esclarece ataques Força Aérea Boliviana emite nota
Bombardeio de alvos civis teria sido mal funcionamento Parte 2 - Ataques a alvos civis
Correspondente Mato Grosso do Sul Correspondente Bolívia
Campo Grande La Paz
07:37:30 - Uma nota emitida hoje, pelo Comando da FAB em Campo Grande esclarece que uma das aeronaves teve problemas mecânicos que impediram a correta liberação das bombas. 07:37:30 - É lamentavel que a Força Aérea Brasileira esteja atacando alvos civís, isso nada mais é que aquela força não tem o menor objetivo em manter um combate dito limpo.
Segundo a nota, a liberação sobre a área central, foi uma acidente e não era esperado que isso acontecesse. Nós do Comando da FAB - Força Aérea Boliviana - enviamos nossos pesares às famílias das vítimas. Informamos que esta situação não ficará impune.
   
 
 
União Européia condena ataques à civis Exército Brasileiro concentra tropas
Inocentes atingidos pelos combates na Venezuela e na Bolívia são citados por ONG's Grande concentração de tropas em RR, MT, MS e RO
Correspondente França Correspondentes Roraima, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia
Paris Boa Vista, Cáceres, Corumbá e Guajará-Mirim
07:37:30 - O governo da França iniciou uma ofensiva diplomática visando "forçar" uma trégua nos combates da América do Sul. Fontes francesas, que contam com a simpatia de outros países europeus, condenam os ataques contra alvos civis, principalmente envolvendo um escola em Caracas e um hospital em Puerto Suarez. 07:37:30 - O Exército Brasileiro vem concentrando um número cada vez maior de tropas em diversos pontos da fronteira com a Bolívia e com a Venezuela. A 5a. Força Aérea, grande unidade da FAB especializada em transportes, vem trabalhando com todos os recursos disponíveis e, ainda, com aeronaves alugadas
A inciativa francesa abre espaço para a aplicação, por parte da União Européia, de embargos comerciais aos países beligerantes, forçando a uma trégua e, com isso, chegar a um acordo de paz. dos operadores civis de carga aérea, para atenter as necessidades do Exército nesta grande mobilização, que envolve também, os Fuzileiros Navais. As informações colhidas pelos correspondentes da Gazeta Independente em
Esta ação conta não só com apoio de outros governos europeus, como o da Espanha, mas também de ONG's com atuação na Amazônia, tanto brasileira como venezuelana. diversos locais, mostra que a fronteira não só está toda resguardada, mas que a quantidade de tropas e material que chega não deixa dúvidas que uma grande 
Uma dessas ONG's, a "The Amazon is our" comenta até duas tribos indígenas que foram atingidas por dois míssil ar-ar (Ver GI No. 6), matando 23 deles. ofensiva está a caminho. Apesar de não ter havido invasão do território brasileiro, houve ataques aéreos e o Exército se prepara para criar uma área segura, além
Sobre esse ataque outra ONG, "Save the Amazon's people" reforça que além dos índios, 6 macacos e 9 papaguaios também morreram. das nossas fronteiras. Apesar das dificuldades geográficas, as unidades brasileiras estão bem preparadas e muito motivadas, pelo que se observa.
 
Exército Boliviano se prepara Exército Venezuelano distribui fuzis
Concentração de tropas ocorre em diversas áreas Fuzis russos são distribuidos a milícias na Amazônia Venezuelana
Correspondentes Bolívia Correspondentes Venezuela
Puerto Suarez e Riberalta Caracas
07:37:30 - O Comando Militar Boliviano também tem deslocado tropas para a fronteira com o Brasil. Apesar de não tão numeroso como o Exército Brasileiro e não tão equipado, os soldados bolivianos vão para a fronteira bem motivados e preparados para cumprir sua missão. 07:37:30 - O Comando Central Venezuelano ordenou que milhares de fuzis russos, recentente comprados, sejam distribuídos às milicias e outras unidades, inclusive policiais, no sul do país, para fazer frente a uma eventual invasão por parte do Brasil.
Fontes consultadas pela Gazeta Independente comentam que, embora faltem recursos às forças armadas bolivianas, sobram coragem e motivação. Além de fuzis, o Exército Venezuelano tem deslocado diversas unidades para o sul do país, para se opor a qualquer invasão brasileira.
Força Aérea Boliviana abate um ALX FAB abate dois ATF-33
Caça brasileiro foi abatido na região de Riberalta Caças bolivianos foram derrubados ao custo de um caça brasileiro
Correspondentes Bolívia Correspondentes Rondônia
Riberalta Porto Velho
07:37:30 - A Força Aérea Boliviana informou que um caça A-29 SuperTucano "ALX" foi abatido a instantes, por um caça a jato ATF-33SF, equipado com um míssil ar-ar fornecido pela Venezuela, demonstrando a determinação e coragem dos pilotos bolivianos. 07:37:30 - A Força Aérea Brasileira informou que caças ALX do Esq. Grifo, 2o/3o Gav abateram com mísseis Piranha II, dois caças ATF-33 Shooting Star (Estrela cadente) da Força Aérea Boliviana, no recente embate sobre a cidade de Guayaramerim, reforçando a letalidade da aeronave e pilotos brasileiros.
O Comando Brasileiro emitiu nota confirmando o abate e acrescentando que o piloto conseguiu escapar e que está "atrás das linhas inimigas" mas com expectativa de ser resgatado em breve. O Comando Boliviano emitiu nota confirmando os abates e acrescentando que um dos pilotos não logrou sair da aeronave e que o outro oficial já foi resgatado por unidades do Exército Boliviano.
Ainda, oficiais bolivianos comentaram que um único ALX custa o equivalente a todo um esquadrão de caças ATF-33SF, deixando claro que a vitória custa caro ao Brasil.
Termoelétrica sob novo ataque ! Terminal Ferroviário destruído
A FAB volta a atingir a termoelétrica de Puerto Suarez Terminal Ferroviário de Puerto Suarez destruído
Correspondente Bolívia Correspondente Bolívia
Puerto Suarez Puerto Suarez
07:38:00 - A Força Aérea Brasileira informou que caças A-29 Super Tucano - ALX - voltaram a bombardear a termoelétrica local, assegurando que vários meses vão passar sem que a mesma volte a operar. 07:38:30 - Apenas 30 segundos após voltar a atacar a usina termoelétrica, a FAB volta a atacar Puerto Suarez atingido a estação de trem local, que faz a ligação com o Brasil. 
Segundo fontes consultadas, a importância estratégica não é da usina, em si, mas das dificuldades que isso representa para toda a região e para a infraestrutura local.  A estação atacada é de onde sai o chamado "trem da morte" levando produtos que antes viam do Brasil, para toda a Bolívia.
Abaixo: Terminal Ferroviário de Puerto Suarez
Terminal Fluvial de Puerto Suarez atingido
Principal porto exportador de grãos foi atingido
Correspondente Bolívia
Puerto Suarez
07:38:30 - Ao mesmo tempo que o terminal ferroviário foi atingido, unidades da FAB atingiram o principal terminal exportador de grãos do país.
O porto, em si, é pequeno, mas as instalações eram modernas e permitiam o embarque de forma rápida. As instalações ficavam bem na divisa com o Brasil.
Abaixo: Terminal fluvial atingido. Ao fundo, o terminal ferroviário
 
  Reportagem sobre a RED FLAG
  Assista a reportagem sobre o exercício RedFlag, no site do RedTeam.
  O vídeo tem 46 minutos (279 mb), patrocinado pela Boeing é muito interessante.
  Apresenta diversas aeronaves, ataques e até a famosa "limpeza de pista".
  http://redteam.awardspace.biz/OperationRed[1].flv.WMV
 
FAB abate três "caças" Pilatus PC-7 Bolivianos minimizam ataques
Caças bolivianos foram derrubados sem perdas para o Brasil Comando Boliviano informa que ataques não surgem tantos efeitos
Correspondentes Mato Grosso Correspondente Bolívia
Corumbá Puerto Suarez
 
07:38:30 - A Força Aérea Brasileira informou que caças brasileiros do Esquadrão Flecha, que vem "castigando" Puerto Suarez nos últimos minutos, abateram três aeronaves da  07:38:30 - O alto comando boliviano emitiu nota minimizando o impacto dos últimos ataques da FAB.
Força Aérea Boliviana, Pilatus PC-7, um treinador armado utilizado como caça pelos bolivianos. As três aeronaves abatidas tentavam defender a cidade dos ataques feitos Segundo a nota emitida, a produção da termoelétrica era pequena e será suprida por outras usinas do país, evitando que a população local sofra muito com isso.
pelo 3o/3o Gav - Esq. Flecha. Lutaram corajosamente, mas não tem um equipamento do mesmo nível que o ALX. Segundo a FAB, todos foram abatidos com mísseis Piranha II. A destruição do terminal ferroviário foi uma ação inútil, pois nenhuma carga iria ou viria do Brasil nos próximo meses. 
A Força Aérea Boliviana confirmou as perdas e informa que nada está decidido naquela área. Segundo oficiais bolivianos consultados, as perdas foram importantes, mas há mais aeronaves e, principalmente, pilotos com coragem de sobra. Quanto ao ataque ao terminal fluvial exportador de grãos, ele estava paralisado, já que a posição na fronteira inviabilizava suas operações e os proprietários não queriam antagonizar com o governo brasileiro. Além disso, há mais dois portos
  na própria região que podem ser utilizados com esse mesmo fim.
Venezuela informa queda de outro A-7M Venezuela abate outro A-7M
Comando venezuelano relata a queda do antepenúltimo caça Corsair II Comando venezuelano informa que abateu o penúltimo caça Corsair II
Correspondente Venezuela Correspondente Venezuela
Caracas Caracas
   
07:38:30 - O comando venezuelano informou que o 22o. caça A-7M Corsair II, normalmente embarcado no porta-aviões São Paulo, caiu no mar do Caribe. 07:38:30 - Logo após informar que um caça A-7M Corsair II havia caído por pane seca, a Força Aérea Venezuelana informou que um caça Su-30 MKI abateu, com
Segundo o informe venezuelano, o caça provavelmente caiu por pane seca, quando tentava, inutilmente, sair do ''cinturão de defesa" que a Força Aérea Venezuelana preparou.  um míssil R-27T, o 23o. caça embarcado brasileiro. O Comando venezuelano informou que o piloto brasileiro consegui ejetar. Oficiais venezuelanos informaram que o caça brasileiro tentou se aproximar e atingir o Flanker com tiros de canhão
O Comando da Marinha Brasileira confirmou que o caça caiu por pane seca. Segundo nota oficial da MB, o piloto informou que estava cercado, sem mísseis e sem combustível.  mas foi abatido pelo míssil disparado "a queima roupa". O Comando Brasileiro confirmou a perda. Oficiais brasileiros comentaram, informalmente, que o reforço já estava a caminho do Caribe.
Bolívia abate caça ALX FAB ataca aeroporto de Ribertalta
Comando Boliviano informou ter atabatido, com mísseis, um A-29 ALX Caças ALX do 2o/3o Gav - Esq. Grifo bombardeiam a pista local
Correspondente Bolívia Correspondente Bolívia
La Paz Riberalta
   
07:42 - Caças ATF-33SF da Força Aérea Boliviana, armados com mísseis Python IV, sedidos pela Força Aérea Venezualana e adaptados aos velhos caças. 07:42:30 - Poucos segundos antes de ser abatido, um caça ALX havia liberado uma bomba Mk. 82, sobre a pista de Ribertalta.
Segundo oficiais brasilerios, mesmo equipados com defesas como flares e avançados sistemas eletrônicos, os ALX, como qualquer outro caça, estão sujeitos a ataques com vários mísseis e, mesmo, a questão de sorte.  Oficiais bolivianos informam que a pista foi atingida, mas que aeronaves menores podem continuar operando, sem maiores problemas.
O abate aconteceu próximo a fronteira brasileira, sobre Riberalta, a poucos kilômetros de Guayarámerim. O radar instalado pelos Venezuelanos, no local, não foi atingido e continua operando normalmente.
Abaixo: Pista de Ribertalta, atingida
Resumo do momento nos dois fronts
Gazeta Independente faz um resumo sintético da situação atual dos combates
Redação
Brasil
 
07:42:30 - Nos dois frons, Norte e do Oeste, as batalhas tem se concentrado em duas áreas, em cada um dos cenários.
No norte, após a MB, através de sua aviação embarcada ter destruído metade das bases no litoral venezuelano, a FAV conseguiu neutralizar os A-7M. Apesar de existirem, ainda, os A-4K, não modernizados, que não embarcaram no porta-aviões São Paulo, não há muito o que esperar.
No área Amazônica, apesar de estar relativamente calma, nos últimos minutos, é de se supor que a concentração de aeronaves da FAB favoreça o surgimento de novos combates.
Na área central, os combates tem se concentrado sobre as áreas de Guarajá-Mirim/Guayaramerim e Corumbá/Puerto Suarez.
Atualmente a área ao norte desse front é que tem tido mais combates, mas ambas as forças aéreas utilizaram poucas unidades, até agora e pode-se esperar um aumento nos confrontos, nos próximos minutos. A FAB já havia anunciado que estava deslocando mais unidades para a região. O mesmo se deve esperar dos Bolivianos.
Nota especial do Comando Brasileiro
Ordem do dia, de um dos Comandantes Brasileiros
Correspondente Amazonas
Manaus
Ultimado do Comando Brasileiro União Européia pede um "cessar fogo"
Ultimato enviado para o Comando Combinado Venezuela-Bolívia Europeus são mais rápidos que a ONU
Correspondente Amazonas Correspondente França
Manaus Paris
07:45:30 - O Comando Brasileiro emitiu nota exigindo uma rendição "incondicional" para o Brasil. Alguns especialistas acreditam ser muito difícil uma rendição incondicional, mas ela pode abrir espaço para negociações de paz ou, pelo menos, para um cessar fogo. Segue abaixo a nota emitida: 07:45:30 - A União Européia foi mais rápida que a ONU e já começa a articular um pedido conjunto de "cessar fogo". França e  Espanha são as que mais tem trabalhado nesse sentido. Outros países também se manifestaram apoiando a iniciativa. Já a Inglaterra pede calma e que se analise bem a situação.
Venezuelanos, o tempo está acabando. Não pouparemos mais nenhum alvo. Caracas já deveria ter sido evacuada, assim como as maiores cidades e regiões petrolíferas e industriais. Ninguém virá ao socorro de vocês. Rendam-se incondicionalmente. Vocês começaram essa guerra, nós a terminaremos. Vocês tem até às 08:00h!

Almirante-de-Esquadra (FN) Hwidger The Shadow" Lourenço - Comandante de Operações Aeronavais.
Especialistas em relações internacionais comentam que a ONU não se pronunciou, até agora, por questões que vão de fuso horário a, até, interesses de alguns países em que o conflito se extenda mais. As ações diplomáticas que visam "atrasar" decisões em conjunto dos países europeus, também são resultados desses mesmos interesses. Outros especialistas comentam que é muito cedo para um "cessar fogo" mas já houve muita destruição e inocentes mortos.
Destruído o radar em Riberalta Outro ALX abatido, sobre Guayaramerim
Radar havia sobrevivido a um ataque anterior, mas foi destruído, agora. Caça brasileiro atacava aeronave boliviana quando foi abatido por Aaé
Correspondente Bolívia Correspondente Bolívia
Riberalta Guayaramerim
07:45:30 - Três minutos após a pista de Riberalta ser atingida por bombas brasileiras, o radar TPS-43, do Esquadrão 22 da Força Aérea Venezelana, instalado nesse aeroporto poucos dias antes do conflito, foi destruído por mais bombas, que foram lançadas por caças brasileiros tipo ALX, que estão operando na área. 07:45:30 - Enquanto o radar venezuelano era destruído em Riberalta, caças brasileiros A-29 ALX (turbohélice) caçavam os caças bolivianos ATF-33SF (jatos), sobre Guayaramerim. Um dos caças do esq. Grifo, 2o/3o GAV tentava metralhar um caça boliviano quando desceu a menos de 5.000m e se tornou alvo.
Segundo fontes brasileiras, a destruição desse radar foi importante, pois isso facilita a ação dos caças da FAB, contra outros alvos na área e mesmo no interior da Bolívia. Uma bateria de canhões antiaéreos (Aaé) posicionada na cidade abriu fogo e conseguiu um impacto certeiro. Segundo fontes bolivianas, o Exército Boliviano possui canhões e mísseis no local. 
Destruído o radar na Isla Margarita Aeroporto local está operacional
Um míssil Torgos destruíu "cirurgicamente" o radar no aeroporto de Porlomar As instalações do aeroporto, bem como as duas pistas não foram atingidas
Correspondente Caribe Correspondente Caribe
Porlomar Porlomar
07:45:30 - A Marinha do Brasil volta ao noticiário com um novo ataque com o míssil Torgos. Desta vez o alvo foi o radar localizado na Isla Margarita, no leste do Caribe Venezuelano. O ataque atual lançou um único míssil contra a ilha, que possui um aeroporto com duas pistas, capaz de operar todos os jatos militares venezuelanos.  07:45:30 - A Força Aérea Venezuelana informou que as duas pistas do aeroporto continuam operando normalmente. Nenhuma instalação local, excetuando-se o radar, foi atingida. Segundo oficiais venezuelanos, o radar ficava relativamente longe das pistas e por isso só poucas pedras chegaram até a pista que já está sendo limpa.
O radar local controlava todo o tráfego aéreo no setor nordeste do litoral venezuelano. Abaixo fotos do local, após o ataque. Para outros observadores locais, o radar ficava realmente perto de uma das pistas, mas isolado de qualquer outra construção.
Abaixo: Foto do aeroporto de Porlomar - Isla Margarita Abaixo: Outra foto do aeroporto de Porlomar - Isla Margarita
Corumbá sobre novo e violento ataque! População de Corumbá sofre isolamento
Caças bolivianos fizeram pesados bombardeios, sem oposição alguma! Cidade enfrenta problemas graves. FAB promete resposta imediata.
Correspondentes Mato Grosso Correspondentes Mato Grosso
Corumbá Corumbá
07:48:30 - A Força Aérea Boliviana realizou seis pesados ataques a Corumbá. Seis pontos da cidade foram atacados, visando alvos militares, econômicos e estruturais. 07:48:30 - Corumbá já estava isolada pelo ar, com o ataque ao aeroporto local. Agora sofre novos ataques que a deixam sem eletrecidade e sem água potável.
Jatos bolivianos atacaram a base naval da Ladário, que estava com apenas um navio docado, atingido diversos prédios. Alguns já atacados anteriormente.  Também foram interrompidas as comunicações ferroviárias com a cidade e o acesso asfaltado. Ainda há caminhos não pavimentados, mas a ligação da cidade foi prejudicada.
Também foram atacados alvos da infraestrutura da cidade, como estação de tratamento de água, subestação de energia elétrica, ponte rodo-ferroviária e a estação ferroviária local. Quanto ao ataque a Base Fluvial de Ladário, todos os navios da base já estavam fora quando o novo ataque chegou. Os prédios atacados já estavam vazios, face a reação da Marinha ao ataque inicial. 
Uma fábrica de cimento, portanto um alvo de valor econômico, também foi atingido, inaugurando uma nova fase dos ataques bolivianos na guerra, já que até agora somente alvos militares e de infraestrutura tinham sido atingidos. Claramente, uma retaliação aos ataques da FAB ao território boliviano. Registraram-se algumas mortes e muitos feridos. A FAB informou que a resposta vai ocorrer em breve e que já tem caças na área, que estão, neste momento, caçando os inimigos. Abaixo, fotos enviadas diretamente pela Força Aérea Boliviana, mostrando os alvos e os ataques realizados.
Abaixo: Foto da subestação de eletrecidade antes Abaixo: Foto da subestação de eletrecidade atacada
Abaixo: Foto da fábrica de cimento antes do ataque Abaixo: Foto da fábrica de cimento atacada
Abaixo: Foto da ponte rodo-ferroviária antes do ataque Abaixo: Foto da ponte rodo-ferroviária após o ataque
Abaixo: Foto da estação ferroviária antes do ataque Abaixo: Foto da estação ferroviária após o ataque
Abaixo: Foto da estação de captação de água antes do ataque Abaixo: Foto da estação de captação de água após o ataque
Abaixo: Foto da base de Ladário antes do ataque. Note os navios ancorados. Abaixo: Foto da base de Ladário após o ataque, sem os navios.
Mais três ALX abatidos próximos a Corumbá FAB informa que reforços chegam logo
Caças Bolivianos, armados com mísseis fornecidos pela Venezuela, preocupam Reforço chegará em minutos e irá impor domínio no ar
Correspondentes Mato Grosso Correspondentes Mato Grosso
Corumbá Corumbá
07:49 - Em menos de dois minutos a Força Aérea Brasileira perdeu três caças brasileiros ALX, em território boliviano, para caças mais antigos, mas armados com mísseis modernos'. 07:49 - Enquanto a FAB organiza missões de resgate "C-SAR" dos pilotos abatidos, é esperada para que em poucos minutos os primeiros reforços para a região.
Segundo militares ouvidos pela Gazeta Independente, os ALX ou SuperTucano estavam sem mísseis e foram surpreendidos pelos caças bolivianos, que são mais antigos e limitados. Entretanto, num combate com mísseis o caça é apenas um vetor de lançamento. Esses combates mostram que mesmo vetores antigos, com armas modernas, podem ser perigosos. Ainda, segundo fontes bolivianas, mais reforços estão se deslocando para a área, para consolidar o domínio no ar. Segundo fontes da FAB em Corumbá, desde o início do conflito a FAB tem enviado, para a região, um fluxo contínuo de caças. Alguns, como os que foram abatidos, foram os primeiros a chegar, mas logo chegarão outros, inclusive alguns jatos, que a fonte não quis identificar. Consultado sobre quanto tempo para os reforços chegarem, a fonte falou que é uma questão de minutos, não de horas.
FAB abate um caça ATF-33SF da Bolívia Hidroelétrica venezuelana atacada?
Caça boliviano foi abatido próximo a Puerto Suarez Notícias desencontradas falam em rompimento da barragem de Macagua
Correspondentes Mato Grosso Correspondentes Venezuela
Corumbá Ciudad Bolívar
07:53:30 - A Força Aérea Brasileira informou que caças ALX abateram um caça boliviano sobre o território boliviano, mostrando que realemnte está impondo uma superioridade aérea aos bolivianos, afastando, assim, algumas críticas que vinha sofrendo neste front. 07:50 - Notícias não confirmadas falam de a grande barragem de Macagua, entre Puerto Ordaz e Ciudad Guayana, no interior do nordeste venezuelano teria se rompido,
Por seu lado, a Força Aérea Boliviana confirmou a perda de um caça, sem descartar a possibilidade de alguma falha mecância. Mas afirmaram que mais unidades estão sendo enviadas para a área e que nada está decidido. Não há confirmação do rompimento da barragem dessa importante usina hidroelétrica, mas também não se tem contato telefônico com as cidades próximas, o que aumenta a possibilidade que algum desastre tenha acontecido.
A Força Aérea Brasileira também reafirmou que mais unidades estão sendo deslocadas para o front boliviano, já que o front venezuelano está estabilizado e que está tudo sob controle, conforme havia sido comentado anteriormente. 07:53:30 - Em Ciudad Bolívar, distante pouco mais de 50mn da barragem, quatro explosões foram ouvidas, mas a cidade está calma e com toda a comunicação operacional. Ainda não se sabe o que causou as explosões.
Abaixo: Foto da barragem da hidroelétrica de Macagua