A Gazeta Independente
                                           A verdade imparcial - Ano 2 - 11ª Edição - Cobertura Especial dos Combates      
                             1º Dia de Combates - Sete horas e vinte e cinco minutos desde que foram iniciadas as hostilidades      
Os Ataques Continuam! Corumbá atacada novamente!
Bolívia e Venezuela continuam a atacar! Bolívia ataca quartel do Exército e ao aeroporto!
Redação Gazeta Independente Correspondente Mato Grosso
Gazeta Independente Corumbá
07:24:30 - Os ataques da Venezuela e da Bolívia continuam acontecendo sem parar. Apesar das notícias de ataques das forças brasileiras, com algumas bases venezuelanas destruídas e alguns caças derrubados, a verdade é que o Brasil não está avançando nos combates. Cada vez mais recebemos informações de ataques inimigos contra nosso território.  A Força Aérea Boliviana voltou a atacar a cidade de Corumbá às 07 horas e 23 minutos. Caças a hélice bolivianos, citados por oficiais do Exército como aeronaves de treinamento e ataque leve Pilatus PC-7, atacando as instalações do 17º Batalhão de Fronteiras e o Aeroporto municipal. 
Nos últimos minutos, novos ataques foram realizados, sem que as forças armadas do Brasil anunciem novas vitórias.  As primeiras informações falam em 17 mortos e mais de 45 feridos, incluindo nove civis que moram perto do aeroporto municipal.
Caças A-7M Corsair II, antigos, mas modernizados, em uso pela MB no Navio-Aeródromo A-12 São Paulo, tem sido derrubados constantemente. Menos da metade da dotação do navio já foi abatida. 
A estrela do arsenal da Marinha, os mísseis Torgos também tem sido constantemente abatidos, embora alguns tenham chegado aos seus alvos com notável precisão.
Quartel do 17º BF Destruído
As instalações já haviam sido bombardeadas anteriormente
Correspondente Mato Grosso
Corumbá
07:24:30 - O que não foi destruído pelo primeiro ataque boliviano, realizado a poucos minutos de antecedência, o foi agora. Neste novo ataque houveram mais mortos, pois os militares tentavam recuperar o que fosse possível dos materiais e equipamentos da unidade. Dois Pilatus PC-7 da FABol
Oficiais garantem que tais ataques não ficarão sem resposta. As perdas maiores foram das próprias instalações, uma vez que ao sinal de movimentação na fronteira a unidade já havia posto em prática algumas medidas pré-definidas, e ocupado posições ao longo da fronteira.
Aeroporto de Corumbá Interditado
Aeroporto está fora de funcionamento – Civis Feridos
Correspondente Mato Grosso
Corumbá
07:24:30 - O Aeroporto de Corumbá estava entre os alvos deste novo ataque boliviano. As instalações estavam vazias, já que suas instalações eram um alvo claro para a população. Logo após o primeiro ataque, a Força Aérea já havia informado a direção do aeroporto que o mesmo poderia ser atacado.
Infelizmente, moradores próximos do aeroporto foram feridos por estilhaços e detritos gerados pelo ataque da FABol. Segundo o Administrador do Aeroporto, esse é um dos problemas de se morar perto de aeroportos. Um dos moradores, ouvido pela nossa reportagem, informou que normalmente é “legal” morar perto do aeroporto e ver o movimento de aeronaves, mas que hoje “não foi legal”. 
Todos os feridos foram levados ao hospital municipal e estão sob observação médica.
As instalações do 17º Batalhão de Fronteira, após dois ataques bolivianos Todo o lado oeste da cidade ficou escuro, sob a fumaça que saia da área do aeroporto. Centenas de pessoas começaram a abandonar a cidade, com a sensação de que não há proteção contra a ameaça boliviana. 
Fontes do Exército e da Marinha, esta em Ladário, informaram, de forma genérica, que a resposta está a caminho, mas que não iriam dar mais detalhes, por questão de segurança.
Abaixo, foto do aeroporto, depois do ataque. 
FAV abate mais dois Corsair 
Força Aérea Venezuelana abate dois caças da Marinha
Correspondente Venezuela
Caracas
07:24:30 – A Força Aérea Venezuelana liberou nota informando que dois caças A-7M Corsair II Modernizados, que operam a bordo do Porta-Aviões São Paulo, foram derrubados, a instantes por um caça Su-30 MKI “Flanker”.
Segundo a nota da FAV, somente um piloto conseguiu ejetar. Os dois caças faziam parte de uma formação maior, que se aproximava para atacar Caracas, mas que “recuou face ao forte esquema defensivo” , que a Força Aérea Venezuelana montou para proteger a capital do país.
FAV abate mais mísseis Torgos 
Força Aérea Venezuelana informa que derrubou mais mísseis
Correspondente Venezuela
Caracas
  07:24:30 – A nota emitida pela Força Aérea Venezuelana informava, também que mais três mísseis Torgos foram destruídos pelo “forte esquema defensivo” montado para defender a região da capital nacional.
  Ainda segundo a nota, mais mísseis devem ser abatidos nos próximos minutos e que não há uma ameaça imediata contra a capital venezuelana, fato que não podemos confirmar.
Acima, um caça A-7, não modernizado
Ainda segundo oficiais venezuelanos, mais da metade da frota brasileira de caças A-7M já foram derrubados.
  Comando Brasileiro confirma ataques
Acesse:
Comando Brasileiro confirmou a perda dos caças mas garante que a ameaça a capital venezuelana continua
  Correspondente Amazonas
  Manaus
www.defesabr.com
DEFESA BR - O site Defesa BR SIMULA e PROPÕE um Planejamento de Longo Prazo de DEFESA no Brasil pelo período de 15 anos entre 2008 e 2022 com criatividade e independência de terceiros.  7:25 - Oficiais brasileiros ouvidos por este repórter informam que há várias ameaças, sejam de mísseis Torgos, sejam de caças da Marinha, para a capital venezuelana. A quantidade de mísseis, abatidos, é pouca, dizem eles, sem revelar maiores detalhes. Acrescentaram que é normal a perda de aeronaves nestas operações, mas que no sul a FAB está “limpando a área” destruindo bases venezuelanas, algumas já no coração da Bolívia.
 
   
 
FAV intercepta dois novos Corsair's  MB também intercepta mais um Flanker
Força Aérea Venezuelana abate mais dois caças da Marinha Comando Brasileiro confirma a perda de mais dois caças mas informa que  continua abatendo a estrela da FAV, os caças Sukhoy Su-30 MKI
Correspondente Venezuela Correspondente Amazonas
Caracas Manaus
07:26:30 – Após escassos dois minutos a Força Aérea Venezuelana liberou nota informando que mais dois caças A-7M Corsair II Modernizados, que operam a bordo do Porta-Aviões São Paulo, foram derrubados, a instantes por um caça Su-30 MKI “Flanker”. Segundo a nota venezuelana, desta vez não foram observados paraquedas, nos dois casos. Com essa ocorrência atinge-se uma assustadora média de um Corsair II derrubado a cada 30 segundos. 07:26:30 – Da mesma forma que foi divulgado a dois minutos atrás, a MB perde dois caças mas abate um caça Venezuelano Su-30 Flanker. Apesar da perda, calculada pela Gazeta, de 14 dos 24 caças A-7M Corsair II, modernizados, que são transportados pelo porta-aviões São Paulo, a MB está confiante do domínio a área ao norte da Venezuela. Segundo alguns oficiais da MB, houve essa importante perda, mas na guerra sempre há perdas. O importante é ressaltar que esses abates custaram a Venezuela 11 dos seus 24 Flankers.
A Marinha do Brasil confirmou as perdas mas não comentou sobre o fato de não haver sobreviventes. Alguns oficiais comentaram que o fato dos pilotos venezuelanos não terem visto a ejeção dos pilotos, não significa que ela não tenha ocorrido e que é cedo para novas afirmações. Segundo esses mesmos oficiais, comparando o valor e o "estado da arte" entre um Flanker e um Corsair II, fica evidente que a vitória tática tem sido das forças brasileiras. "- Um Flanker voa mais rápido e leva mais armas, mas também tem sido abatido. Temos bons mísseis para equilibrar a luta. Informou um dos oficiais ouvidos pela Gazeta Independente. 
 
Ainda segundo oficiais venezuelanos, além de caças a FAV tem trabalhado na interceptação de mísseis Torgos, lançandos pelos caças brasileiros. E, mais, outros oficiais brasileiros prometeram que logo virão boas novidades do front boliviano. Estamos aguardando.